17 Jun

7 motivos para deixares de querer mudar os outros

Teimamos em querer mudar o outro.
Fazêmo-lo nas relações amorosas, de amizade, profissionais.
Gastamos energia, desgastamo-nos emocionalmente, causamos stress, frustração e até desilusão quando teimamos ser os donos da verdade.
A necessidade de controlar, a necessidade de querer ter razão, de sobrepor a nossa verdade, a nossa visão, torna-nos seres extremamente egoístas.
Porque nos é tão difícil aceitar o outro como é?
Não queremos tanto ser aceites como somos, porquê a vontade incontrolável de querer mudar o outro?

Durante muitos anos da minha vida, assim fui – egoísta – na tentativa teimosa de mudar os meus relacionamentos através da tentativa manipulativa de fazer com que fossem os outros a mudar.
Não sabia fazer melhor, não percebia a minha teimosia, não percebia que o mapa-mundo de cada um depende dos filtros de cada um e que não existem verdades absolutas.
Aprendi a aceitação, aprendi a colocar-me nos sapatos do outro.
Aprendi que os desafios são aquilo que nos faz crescer e que a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro, de aceitarmos quem está ao nosso lado como é, faz de nós melhores seres humanos.
A capacidade de flexibilidade, de enfrentar desafios juntos em vez de desistir à primeira birra, ao primeiro obstáculo, torna as nossas relações mais fortes, torna-nos seres mais amorosos.
O mesmo se passa nas relações de amizade, de trabalho, se desenvolvermos a capacidade da aceitação, da flexibilidade, do respeito mútuo, tudo irá fluir.

Eis alguns motivos pelos quais deves deixar de querer mudar os outros:

  1.  Diz o que sentes – a melhor forma de poderes fazer com que alguém se aproxime do teu ponto de vista, com que alguém compreenda as tuas emoções (aquelas que não mostras) é expressares o que sentes, partilhares as tuas emoções, as tuas fragilidades. Teimosamente achamos que o outro tem que adivinhar o que estamos a sentir e isso não nos leva a lado nenhum.
  2. Olha-te ao espelho – sim, olha-te ao espelho e vê verdadeiramente quem és. Estarás a ver no outro o espelho daquilo que queres mudar em ti e não tens coragem?
  3. Aceita-te – só quando aceitares quem és com todas as tuas forças e fraquezas vais estar disponível para aceitar o outro.
  4. Desapega-te – somos viciados em depender emocionalmente das nossas relações. Enquanto o fizeres, enquanto a tua felicidade depender da relação com os outros e não, em primeira instância, da relação contigo, estarás eternamente dependente e a insatisfação será uma constante.
  5. Liberta-te de Expectativas – criamos expectativas e continuamente saímos frustrados. Aprender a viver cada momento, a criar o menos expectativas possíveis ajuda na aceitação do outro como ele é.
  6.  Conhece-te – quanto mais trabalhares o teu auto-conhecimento, conheceres os teus valores, as tuas crenças, mais disponível estarás para aceitar o outro como ele é.
  7. Sê a mudança que queres ver no outro – a melhor forma de influenciarmos os outros a mudar é através da nossa própria mudança. Mesmo que inconscientemente vamos mostrar ao outro oportunidades de mudança e de ajuste.

Já pensaram o quão desrespeitoso é querermos forçar alguém a pensar, agir, sentir como nós?
Já pensaram que essa é uma forma de manipularmos e de nos mantermos na zona de conforto?

Amar o outro como ele é. Arrisco-me a dizer que este é o maior desafio nas relações humanas.

Estás disposto a ser resiliente e amar as pessoas pelo que são? Desafias-te a isso?